sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Hoje lembrei-me de ti e a saudade apertou. Lembrei-me do quão especial eras e do quão especial me fazias sentir. A forma como me fazias sentir… tão segura de mim mesma, tão protegida. Nunca te disse, mas duvido que haja alguém como tu por aí. Foste paciente, carinhoso, divertido, conversador… O que eu dava agora por uma conversa das nossas! Daquelas que começam e que podem ou não acabar… daquelas que enchem o coração e preenchem o vazio de uma vida pautada pela rotina. Contigo era tudo tão simples. Bastava uma palavra, um olhar, um beijo teu e o meu dia melhorava instantaneamente. Eras tudo o que eu queria e tudo o que perdi. Sei que foste tu que não quiseste ficar, mas pelo menos amei como nunca antes tinha amado. Vivi sentimentos e momentos que são indescritíveis e que vão ficar sempre na memória. Foste o sol num dia de inverno. Ainda hoje não sei o porquê de te ter perdido, mas sei que marcaste a minha vida. Os momentos menos bons foram anulados pelas alegrias e pela felicidade crescente que me transmitias. Quem me dera voltar a dizer-te isto, voltar a dizer-te o quão especial eras. Só que a vida tinha outros planos para nós. A vida tem sempre outros planos...
Sunshine

1 comentário:

  1. É mesmo difícil não sentir saudades de alguém que nos foi tanto!

    ResponderEliminar

As palavras são como os pássaros: nasceram para serem livres, soltas ao vento... Elas reclamam liberdade.