domingo, 9 de junho de 2013

Saudade

Tenho saudade!
Tenho saudade disto e daquilo e de tudo o que passou.
E esta saudade invade-me a alma tão violentamente que me faz querer sempre mais, e nunca ficar saciada. E vai crescendo e crescendo até se tornar imprevisível, dolorosa e insustentável.
Esta saudade vai levar-me aos becos mais lamacentos e aos pântanos mais escorregadios que se possa imaginar. E é aí que começo a cair… Mas a saudade aumenta e com a grande queda, é cada vez mais difícil levantar-me. E continuo, apesar de saber que terei sempre saudades. Os dias passam e eu sinto saudade do dia que passou, do que se passa e chego até a ter saudade do que ainda se vai passar. Então já não sei se este sentimento é mesmo saudade, ou se é só uma vontade gigantesca de não parar, de NUNCA parar. 
Sunshine

Sem comentários:

Enviar um comentário

As palavras são como os pássaros: nasceram para serem livres, soltas ao vento... Elas reclamam liberdade.