segunda-feira, 17 de junho de 2013

Não
Não tenho muito talento
Queria ter
Mas não tenho.
Queria poder mudar o mundo
fazer-me ouvir
(nem que fosse por um número reduzido de pessoas),
mas queria!
E não sou!
E dói.
e magoa
e não é justo
e há dias em que não consigo dormir.
O peso da solidão torna-se maior a cada dia que passa
e eu só queria um pouco menos.
Aliás, eu não o queria.
Mas o que vale o que eu quero?
É apenas isso,
um querer em excesso,
um não desistir definitivo, mesmo quando tudo parece feio.
E eu, escritora amadora insaciada,
quero!
Sunshine

Sem comentários:

Enviar um comentário

As palavras são como os pássaros: nasceram para serem livres, soltas ao vento... Elas reclamam liberdade.