quinta-feira, 25 de abril de 2013

Mesquinhez

Entram na tua vida como um mosquito que pousa na tua mão sem tu dares autorização e saem exatamente da mesma maneira. Comportam-se lindamente no início mas, chega o tempo, em que começam a falar menos contigo. Segue-se o sentir falta de, pela tua parte, até que queres falar com, e não podes. E é aí que reparas que saiu da tua vida sem avisar, sem dar a mínima explicação. Saiu, simplesmente. E, para eles, é totalmente normal, porque têm outros planos e outras pessoas onde encontrar poiso. E tu, que sempre deste tudo e sempre te dedicaste, ficas sem nada. Aquele era o teu único poiso e agora estás sozinho, ou sentes-te como tal.
Por cima de toda a solidão e frustração que estás a sentir, começam a embirrar contigo, a criticar-te indiretamente, como se não tivesse existido nada antes, como se todo o tempo vivido não passasse de vazio, uma pausa vivida. Tu vais mais abaixo ainda, sentes-te um "nada". Até um dia, em que te dás conta que tudo não passou de um jogo, estiveram a brincar contigo, porque é assim que eles funcionam, como umas crianças não ingénuas e maldosas. Eles apenas refletem mesquinhez e tu, aí, queres afastar-te porque te fazem mal. Mas não é a generalidade, é só uma parte. 
Então, tu acabas por descobrir a outra parte, a parte boa, que é diferente, que não vai brincar com os teus sentimentos e com as tuas crenças. Sim, porque tu acreditaste que todas as pessoas tinham um lado bom, porque tu acreditaste que podias dar tudo. E, no final, recebeste nada.
Mas não te preocupes, a sociedade é irónica, e a vida também e, por vezes, vão brincar contigo dessa maneira. Assim como entrarás nos seus jogos, também sairás e encontrarás o teu caminho.
Boa sorte.
Sunshine 

Sem comentários:

Enviar um comentário

As palavras são como os pássaros: nasceram para serem livres, soltas ao vento... Elas reclamam liberdade.